Reunião discute parcerias para criação de Museu de Ciências Naturais no município

06/09/2019

 

 

Com o objetivo de discutir parcerias para viabilizar a criação de um Museu de Ciências Naturais no município, pesquisadores e representantes de diferentes setores participaram de uma reunião na tarde desta sexta-feira (6/09) na Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semea) de Prudente.

Participaram da reunião, o secretário Municipal de Meio Ambiente, Wilson Portella Rodrigues com pesquisadores André Eduardo Piacentini Pinheiro, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERF) e Kamila Luisa Nogueira Bandeira, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Paulo Victor Luiz Gomes da Costa (UFRJ), Silvério Takao Hosomi coordenador do curso de Ciências Biológicas da UNOESTE, professor Rondinelle Artur Simões Salomão e o diretor de departamento de planejamento e controle de políticas ambientais da Semea André Gonçalves Vieira.

Na reunião foi discutida a parceria entre a administração pública municipal e os pesquisadores do Rio de Janeiro e Unoeste.

Segundo Portella “a região está ganhando cada dia mais visibilidade no cenário nacional e internacional na questão de fosseis paleontológicos e a ideia é que futuros achados sejam na paleontologia na arqueologia sejam destinados para a região”.

“A possível parceria é de grande importância para as pesquisas paleontológicas, pois a região é rica em fósseis e isso vai contribuir com a cultura e ciência da região do oeste paulista”, relata o pesquisador André Pinheiro, professor Doutor da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro Campus de São Gonçalo, e responsável pelo achado do crocodiliano _Goniopholis paulistanos em 2018.

A pesquisadora Kamila Bandeira é doutoranda em Zoologia do Museu Nacional da UFRJ e é responsável pela identificação do Titanossauro de 25 metros de comprimento que viveu há mais de 60 milhões de anos - o fóssil foi encontrado na região de Prudente aponta que a região tem muito para colaborar com a comunidade cientifica através dos fósseis encontrados na região.

O coordenador do Curso de Ciências Biológicas da Unoeste, Doutor Silvério Takao acredita que a parceria entre o poder público e universidade permite a troca de conhecimento e melhor acesso as informações e “quem ganha com a parceria é a população”.